Inicio »

Dashboards e bolo de aniversário: o que não te contaram sobre eles

Dashboards e bolo de aniversário: o que não te contaram sobre eles

Aprenda o que são dashboards, os tipos diferentes, quais as vantagens de utilizar-los e como construir o seu próprio com dicas de ferramentas.

Picture of Alex Medeiros
Alex Medeiros

21/03 |

Leitura: 11 min

Você monta então um grupo no whatsapp, coloca a pior foto dela de capa, adiciona as pessoas e começam a discussões calorosas de quem serão os responsáveis pelo o que, e você fica ali organizando tudo. 

No primeiro dia, conversa vai conversa vem, e você segue o ritmo. Um comenta que levará os salgadinhos, outra que cuidará da decoração, das mesas, alguém das bebidas, música, doces, convidados e assim por diante.

Segundo dia, o caos já está instaurado e já são mais de 200 mensagens não lidas. Como uma pessoa sensata, você silencia o grupo e acredita cegamente que como todos fizeram suas divisões tudo correrá perfeitamente bem.

Faltando um dia para a festa você ignora todas as mensagens acumuladas e pede para todos confirmarem o status com um ok e todos respondem que tudo está certo e seguindo como combinado. 

Chega então a manhã do grande, e pior, dia da sua vida. Todos se reúnem para preparar a festa surpresa que acontecerá à noite e um por um vão chegando e trazendo o que foi definido. Decoração sendo montada, mesas e cadeiras posicionadas, salgadinhos, bebidas, sistema de som, iluminação, doces e etc, fluindo bem até demais, até que ao finalizar vocês percebem que falta algo: o bendito e delicioso bolo. 

Começa então a discussão de quem ficou responsável pelo bolo. Um joga a culpa para o outro e ninguém mais sabe o que de fato aconteceu, meia hora depois chegam à conclusão de que provavelmente ninguém citou o bolo durante o planejamento e simplesmente ninguém ficou encarregado de encomendá-lo. 

Faltando apenas 3 horas para a comemoração decidem então procurar padarias para pegar um daqueles bolos prontos que quebram o galho, mas para piorar ainda mais a situação, é um feriado e não encontra nenhuma padaria aberta a tempo da festa começar. Só ladeira abaixo. Sem nenhum plano em mente, restou apenas seguirem com a amarga comemoração sem bolo. 

E a tão sonhada festa de aniversário vira um encontro, pois festa sem bolo é apenas um encontro.

Pois bem, onde quero chegar com tudo isso? Podemos pensar em vários motivos da festa ter dado tão errado, mas o ponto principal é que quando temos muitas coisas para planejar e fazer ao mesmo tempo, somado a muita gente envolvida, as chances de  tomarmos as piores decisões e perder o controle de tudo são altíssimas. 

Agora pensa, se ao invés de tentar acompanhar as infinitas conversas no grupo do whatsapp que acabam tomando outros rumos, você tivesse montado uma planilha onde tudo tivesse ali separadinho e cada um preenchendo seus status e divisões? Não teria sido um milhão de vezes mais fácil de você fazer a gestão e ter a certeza real de que tudo correria bem?

Acredito que tenha concordado comigo, e é exatamente para isso que existem os Dashboards. Um dashboard é uma exibição visual de informações importantes organizadas em uma única tela para facilitar o monitoramento rápido e em tempo real.

Eles estão presentes em toda parte, por exemplo: 

  • Nos painéis dos carros para saber a velocidade, ligar ou desligar funções, saber se tudo está funcionando corretamente e etc. 
  • Nos aeroportos quando você precisa acompanhar o horário e local do vôo naqueles painéis e assim por diante. 

 

 

Mas também no mundo dos negócios. Quando empresas precisam rastrear vendas, monitorar a eficiência operacional ou até mesmo descobrir novos insights, os painéis se tornaram a base da análise de dados e da tomada de decisões na inteligência de negócios. 

Os Dashboards são muito comuns nas empresas e são extremamente importantes para acompanhar o desempenho do seu negócio, quais áreas de negócios estão apresentando boa performance, quais precisam ser melhoradas e até mesmo corrigir falhas como o fatídico desastre da ausência do bolo citado acima. 

Um Dashboard bem projetado pode realmente agregar muito valor, e só de pensar em centralizar tudo em um único lugar sem precisar abrir milhares de planilhas gigantescas que travam o computador já é motivo suficiente para querer usar um. 

Se eu ainda não te convenci, aqui vão mais alguns motivos que farão você brilhar os olhos. 

As vantagens de usar Dashboards

1 – Economia de tempo (e menos estresse, claro): 

Sem um painel, você e sua equipe gastarão inúmeras horas buscando dados manualmente e executando relatórios individuais. Quanto mais tempo você gasta nessas tarefas, menos tempo você gasta em suas principais responsabilidades. E isso rapidamente afetará seu desempenho.

2 – Análise em tempo real: 

Você costuma passar horas procurando dados? Você espera até o final do mês para analisar os relatórios e fazer as alterações necessárias?A análise em tempo real pode salvá-lo desses tipos de problemas. Não há mais busca ou espera. Em vez disso elas estarão disponíveis com um clique do mouse que parece magia. 

3 – Melhor tomada de decisão: 

De acordo com a Harvard Business School Online , “as maiores e mais bem-sucedidas organizações de hoje usam os dados em seu benefício ao tomar decisões de negócios de alto impacto”. Embora a tomada de decisões baseada em dados exista nos negócios de uma forma ou de outra há séculos, é um fenômeno verdadeiramente moderno.

Se você não tirar proveito desse “fenômeno moderno”, estará perdendo o barco em relação a uma ferramenta que pode melhorar a tomada de decisões de cima para baixo.

Esses são só alguns dos motivos e, se mesmo assim, eu ainda não consegui te convencer, te convido a colocar a mão na massa e ver com seus próprios olhos.

Princípios básicos para a criação de um Dashboard, que você precisa ter em mente:

Objetivo e Público alvo

A base de um ótimo painel está em seu propósito e no público que atende. Comece perguntando: quais problemas esse dashboard resolverá? Quem vai usá-lo? Por exemplo, um C-level pode precisar de uma visão geral estratégica, enquanto um gestor de departamento pode necessitar de detalhes operacionais.

Clareza e Impacto

Um dashboard deve contar uma história. Use visualizações claras e concisas – pense em gráficos de barras para comparações, gráficos de linhas para tendências e não se esqueça do poder da cor e do layout para guiar o olhar. Um painel desordenado é confuso. Encontre  um equilíbrio entre estética e funcionalidade. 

Evite excessos

Um erro comum é utilizar cores de status (verde, amarelo e vermelho) em outros elementos que não são sensibilizados com alertas. Isso causa uma confusão do que é prioridade. 

Um dos maiores erros de alguns softwares é fazer com que todos acreditem que os gráficos 3D são bons para análise de dados. Por alguma razão, as pessoas parecem amá-los; mas, acredite, apesar do charme visual, eles podem facilmente ocultar partes da informação e transmitir percepções erradas dependendo do uso de cores, sombras e inclinação do eixo. Por favor, fuja para o mais longe que puder deles. 

O mesmo para informações: um dashboard deve ser objetivo, com a escolha dos indicadores mais importantes e necessários na tela para manter a clareza e prioridade. 

 

Dashboard com gráficos 3D

 

Dê contexto aos dados

Quando se trata de analisar dados, o contexto é tudo. Se você apresentar figuras isoladas, os usuários terão dificuldade em tentar encontrar a história escondida por trás delas. Por exemplo, se eu dissesse que a margem bruta de uma empresa foi de 16,5% no primeiro trimestre deste ano, você avaliaria isso como um sinal positivo ou negativo? Difícil dizer de forma isolada, não é?

Porém, e se adicionarmos algumas informações extras como a “Margem bruta do ano passado”, “Comparação com o concorrente”, “Orçamento” e etc, fica mais fácil entender se a margem bruta melhorou no último ano, ou se a empresa ainda tem muito trabalho a fazer para ser competitiva e superar o padrão do setor.

Adicionar contexto aos dados pode fazer com que o cenário pareça bem diferente.

É importante também saber que os Dashboards não são relatórios. O pensamento geral de um painel é que se trata de mostrar análises, tendências e resumos dos dados usando vários gráficos e diagramas.

E com isso existem os tipos de Dashboards indicados para cada cenário. 

Os tipos de dashboards

Existem 4 tipos básicos: Operacional, estratégico, analítico e tático.

Painel operacional ajuda a monitorar dados transacionais em tempo real, como desempenho de vendas e níveis de estoque, e são atualizados frequentemente.

Painéis estratégicos são usados ​​para monitorar o desempenho geral dos negócios, incluindo posição de mercado e saúde financeira. Diferente dos painéis operacionais, ele é atualizado com menos frequência, pois se concentra nas tendências e nos objetivos de longo prazo.

Painéis analíticos ajudam você a entender grandes volumes de dados. Com eles, os usuários podem avaliar tendências, prever resultados e definir metas com base em dados históricos.

Painel tático conecta o planejamento estratégico com as atividades operacionais, fornecendo dados em tempo real. Enquanto os painéis estratégicos focam em insights de longo prazo e os operacionais monitoram atividades diárias, os painéis táticos oferecem detalhes sobre o desempenho de projetos ou departamentos específicos.

 

Agora que você já está munido de várias informações, criar um painel atraente é uma mistura de arte e ciência e escolher a ferramenta certa para criá-lo pode te ajudar e muito nessa missão. 

Ferramentas para criação de Dashboards

Existem no mercado diversas ferramentas para criação de dashboards: Google Data Studio, Google sheets, Excel, Power B.I, Thoughtspot e etc, mas quero destacar uma ferramenta 100% brasileira e espetacular (opinião nada enviesada) chamada Looqbox, uma plataforma de B.I que utiliza lA para consultas e análises por meio de perguntas, uma solução completa que poupa você de várias tarefas cansativas como:

  • O esforço de definir os tipos de visualizações gráficas.
  • O trabalho de pensar em como organizar tudo em uma tela só. 
  • Ter que decidir sozinho qual o melhor visual em determinado dado.
  • Horas e horas em tutoriais para descobrir como montar um simples painel (que te leva a comprar um curso online que vai te enrolando para comprar mais cursos,  e que te deixa cada vez mais confuso depois).  

Além disso, no Looqbox você ainda pode compartilhar os painéis com outras pessoas da empresa, gerar relatórios, customizar visões com nosso time de experts, visualizar tudo no computador ou celular, de forma simples, rápida e eficaz e muito mais. 

Exemplo de um Dashboard personalizado na ferramenta Looqbox

Conclusão

Obrigado por ter chegado até aqui, essas foram apenas algumas dicas sobre a arte e ciência por trás dos painéis. 

Lembre sempre, um Dashboard bem projetado não se trata apenas de apresentar um conjunto de dados. Pelo contrário, procura responder a uma série de perguntas que alguém faz ou precisa fazer para realizar determinada atividade.

Se não forem projetados corretamente, eles podem prejudicar o seu negócio em vez de ajudá-lo. Se sua equipe não visualizar as informações relevantes no momento certo, ela poderá perder o foco e seguir na direção errada. 

Se você criou um dashboard, quer criar outros, ou dar um salto a mais nos que a sua empresa já possui, para de fato fazer uma verdadeira diferença, eu não tenho dúvidas que podemos te ajudar. Agende uma demonstração (sem compromisso) com a gente, que prometemos não te decepcionar. 

Ah, e muito importante, não esqueça de encomendar o bolo quando for comemorar o próximo aniversário de alguém. 

Compartilhar

Autor

Alex Medeiros

Alex, é um eterno curioso e apaixonado por design e tecnologia. Apesar de formado em Publicidade e Propaganda, foi seduzido pelo Design, onde atua profissionalmente como UX designer. No Looqbox, ajuda a criar melhores experiências nos produtos e as vezes se arrisca na escrita.

Se inscreva em nossa Newsletter!

Posts relacionados

Entenda o que é um representante comercial e como os dados podem ajudar essa profissão.
Entenda como cada repositório funciona na prática e qual a melhor solução para armazenar dados de acordo com as necessidades da sua empresa.
O data warehouse (DW) serve para armazenar dados estruturados, consolidados e prontos para facilitar consultas específicas e frequentes de negócios.
Imagem banner Data Trends

Pesquisa Data Trends 2024

Confira nossa pesquisa, realizada em parceria com o Opinion Box, sobre o uso de dados nas empresas brasileiras e descubra as tendências mais relevantes do setor.